quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O BRASIL COM SERRA: MANIFESTO DE ARTISTAS E INTELECTUAIS

O BRASIL COM SERRA: MANIFESTO DE ARTISTAS E INTELECTUAIS: "Votamos em Serra! Ele tem história. Serra está na origem de obras fundamentais nas áreas da Cultura, da Educação, da Saúde, da Infraestrut..."

sábado, 26 de junho de 2010

Mano gladstone : Asa branca


Prá mim só existe duas interpretações  de "Asa branca" de forma poética e harmonica.Uma é a do Quinteto violado e a outra a de Mano Gladstone com a qual estou presenteando vocês agora.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Brasilia,pobre ilha !



BRASÍLIA POBRE ILHA!
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Brasília é onde os membros
mais benquistos da família,
tem as mais nobres mobílias.

Brasília é onde há mais
cobres, safiras e quadrilhas
e as mais belas filhas.

Brasília é onde
as belas filhas sempre têm,
e são elas as que mais brilham.

Brasília é onde
essas estrelas cintilam
em péssimas trilhas.

Brasília pobre terra
de Marília Maravilha,
Brasília pobre ilha!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Pillar - Mano Gladstone & Banda



Pillar
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Eu amo um anjo desengonçado
que se chama Pillar.
Eu já comprei um rancho alegre
prá nós dois morar,
que fica num riacho encantado
que passa por lá.

Meu Deus! Que vida tão bem vivida
agora eu vou encontrar.
Depois de longas noites de inverno
ela vai esperar,
um filho de pequeno tamanho
que eu hei de beijar.

You' ve Got To Hide Your Love Away - Mano Gladstone & Banda


 You've Got to Hide Your Love Away

(Jonh Lennon/Paul McCartney) 

Here I stand head in hand
Turn my face to the wall
If she's gone I can't go on
Feeling two foot small
Everywhere people stare
each and every day
I can see them laugh at me
And I hear them say

Hey you've got to hide your love away
Hey you've got to hide your love away

How can I even try?
I can never win
Hearing them, seeing them
In the state I'm in
How could she say to me
"Love will find a way?"
Gather round all you clowns
Let me hear you say

Hey you've got to hide your love away
Hey you've got to hide your love away

You've Got to Hide Your Love Away (Tradução)

You've Got to Hide Your Love Away (tradução)
Pearl Jam

Aqui eu me levanto com a cabeça nas mãos
Viro minha cara para a parede
Se ela foi que eu não posso continuar
Sentindo dois pés pequenos
Em todos lugares pessoas olham
Todo e cada dia
Eu posso vê-los rirem de mim
E eu os ouço dizerem

Ei você tem que esconder seu amor
Ei você tem que esconder seu amor

Como eu posso sequer tentar?
Eu nunca consigo ganhar
Os ouvindo, os vendo,
No estado em que estou
Como ela pôde dizer para mim
"Amor achará um modo "?
Dobre em volta todos vocês palhaços
Me deixe ouvi-los dizer

Ei você tem que esconder seu amor
Ei você tem que esconder seu amor

Mané Café (Mano Gladstone)



Mané Café
(Tema: Germano Gladstone)
(Música: Germano Gladstone & Rogério Gutemberg)

Homem da cor de carvão
e olhar diferente
e dentes da cor do luar.
morava numa cabana,
bacana,sei lá.
À beira do Rio do Meio
lá de São Tomé da Serra
Ho! Como era lindo,
Mané Café .

Ele era filho de índio
da tribo Cariri,
vivia acordando
no meio da noite,
prá ver o rosto da lua
no poço do Rio do Meio
lá de São Tomé da Serra.
Ho! Como era lindo,
Mané Café.

Coitado do homem
que vivia lá no sertão,
no dia da enchente do riachão.
Seu corpo veio boiando
toda gente viu,
Sobre as águas turvas
do Rio do Meio
lá de São Tomé da serra.
Ho! Como era lindo,
Mané Café

Mano e banda Ao vivo (in live)
Show de Lançamento do 2º Álbum Musical do Mano Gladstone, de título: GENOMA DOS SONHOS - Auditório da Livraria Cultura - Paço Alfândega -MANO GLADSTONE & BANDA - LIVE IN CULTURA (Recife Antigo, 05/Julho/2009).
Dizem que o cello é o instrumento que mais se aproxima da voz humana,porém eu  digo que são raras as vozes que se aproximam do cello.Então você junta um cello tocado divinamente como esse,a interpretação e a poesia de mano com a harmonia da banda...pronto! Agora fixe no pensamento uma paisagem que te introduza na temática dessa canção.Feche os olhos e boa viagem ! Ha...não se esqueça ao voltar dessa viagem de deixar um comentário aqui!

Alexandre Souza

Eu vou deixar você entrar no rock/Estourando o balão do improviso (Mano Gladstone /Ozires Diniz)



Eu Vou Deixar Você Entrar no Rock
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Estourando o Balão do Improviso
(Tema Decassílabo: Ozires Diniz - Tema Refrão: Germano Gladstone)
(Música: Germano Gladstone)



Como é que você vai passando?
Como é que vai seu violão? Bom?
Como você vai caminhando?
Como é que vai seu coração?

Seu coração vai machucado?
Como é que vai o seu amor? Bem?
O seu amor é como a chuva
que vai molhar o “Olho D’Água do Juá”.
A flor do meu maracujá não vai murchar,
vai como Deus quer.

Eu vou deixar você entrar no rock.
No rock lá do meu sertão...
Eu vou deixar você entrar no rock.
No rock lá do meu sertão...

Quando eu canto eu esporo o meu juízo,
eu estouro o balão do improviso,
cantador muito velho até duvida,
trovador muito novo se intimida.
Violeiro abre a boca e não canta,
o doente aleijado se levanta,
quem não ouve começa a escutar.
Quem não dança começa a dançar,
tudo isso sucede sem parar,
quando eu pego a viola pra cantar.

Eu vou deixar você entrar no rock.
No rock lá do meu sertão...

E o vento dá voltas e campeia,
e o verde da mata se incendeia,
o rio começa a voltear,
e o tempo já perde o seu contar.
A criança vai ganhando tino,
o velho voltando a ser menino,
e o poltro deixando de correr.
O sol já se põe ao anoitecer,
quem calou tem vontade de dizer,
quem morreu tem saudade de viver.

Eu vou deixar você entrar no rock...

E o poeta dá volta, volta e meia,
o seu tirocínio até tonteia,
a cabeça lhe dói, se embriaga,
o peso do medo lhe esmaga.
O que eu digo lhe dói como espada,
a bruxa num instante vira fada,
o leão perde a fúria do momento.
Com o que estava no meu esquecimento,
faço um mar violeta de cimento,
da rosa, do mel, do pensamento.

Eu vou deixar você entrar no rock...

E a moça se prende comovida,
disfarçando as agruras dessa vida,
boiadeiro se junta mais o gado,
esquecendo o que tinha planejado.
Sai tangendo e tangido no caminho,
o veneno se transforma em vinho,
a correr nas artérias da canção.
Fere o gado e se fere no facão,
quem é cego abre os olhos, tem visão,
quando eu grito o cantar do meu sertão.

Eu vou deixar você entrar no rock...

Embolador, cantador e violeiro,
o poeta, o cantor, o seresteiro,
trovador, escritor, intelectual,
e o homem comum ou genial.
Falam: - meu Deus do céu me ajuda!
São Jorge guerreiro, me acuda,
me dê uns cem anos pra pensar,
essa gente cantando em meu lugar,
esgotou o assunto sem notar,
agora eu abro a boca pra cantar.

Eu vou deixar você entrar no rock...

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Julho de 52 (Mano Gladstone)



O poeta é como a alvorada,ninguem pode deter.O som de Mano é o que chamo de new pop nordestino,e.Julho de 52 é uma pequena amostra.Um blues nascido nas contrações da alma de um poeta e cantador...Mano Gladstone!

JULHO DE 52
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Naquele tempo,
meu velho tinha o primeiro Chevrolet
que apareceu na região:
- No Olho D’água do Juá!
- Lá em Riacho dos Cavalos!

Era um Chevrolet bonito,
todo pintado de preto.
Quando ele aparecia na rua,
o povo assoviava, grivava e dizia:
- “Olha o bicho do zóio de fogo!”

Lá no pé da serra tem uma fonte,
a água clara de onde vem?
- Ninguém sabe não. .
- Ah! Sei que vai pelo algodoal
que o avô plantou em julho de 52.

Lá se pode ver além do cerrado,
cabras, cavalos, juntos o gado.
- Ah! Você diz é o curral
que o avô cercou em julho de 52.

Lá se pode ver um céu estrelado,
debaixo desse céu há um roçado.
Ah! Tem feijão de água e sal
que o avô plantou em julho de 52.

SW 77,o amarelinho ônibus escolar (Mano Gladstone)



SW-77, O Amarelinho Ônibus Escolar
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Há uma bola de fogo no céu.
- É o sol em brasa...
Há uma bola de fogo no céu.
- É o sol em brasa...

Nesse pedaço da Terra,
você pode acreditar
como é bom pegar o “SW”,
esse amarelinho ônibus escolar,
braços aberto na América.

Lá vem o “SW 77”,
vem do noroeste, vem pra o sudoeste,
é nele que vai um jovem coração
aprender inglês na “Sunset”.

Lá vem o “SW 77”,
vou voltar ao tempo, ser um estudante,
bolsa à tiracolo, cadernos e livros,
cheiro bom da manhà próximo a “Sunset”.

A América está raiando agora,
são 07:00 horas, gente nova,
carros passam em massa.
A América está sempre à frente,
é uma pena se a outra foge em sua mente.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O contratorpedeiro - Mano Gladstone


O CONTRATORPEDEIRO
(Tema: Germano Gladstone & Marcelo Montenegro)
(Música: Germano Gladstone)

No fundo do casco
do contratorpedeiro,
tem um torpedo guardado
prá seu coração.
Será lançado
num pôr-do-sol
de qualquer verão.

Nesse pôr-do-sol
uma criança negra.
Ah! O bêbado poeta
nega o que falou:
- Uma crianca é que existe.
- O negro pôr-do-sol, não!
- É muito triste!

O contratorpedeiro
segue em frente
nessa maré morta,
viaja como um cão vadio
nessa maré torta.

No fundo do seu casco,
o contratorpedeiro tem guardado
prá essa maré porca,
um torpedo preso na garganta
de Garcia Lorca.

Será lançado
num portal, cartão-postal
ou atrás da porta,
num pôr-do-sol
de qualquer verão.