quinta-feira, 15 de abril de 2010

Julho de 52 (Mano Gladstone)



O poeta é como a alvorada,ninguem pode deter.O som de Mano é o que chamo de new pop nordestino,e.Julho de 52 é uma pequena amostra.Um blues nascido nas contrações da alma de um poeta e cantador...Mano Gladstone!

JULHO DE 52
(Tema e Música: Germano Gladstone)

Naquele tempo,
meu velho tinha o primeiro Chevrolet
que apareceu na região:
- No Olho D’água do Juá!
- Lá em Riacho dos Cavalos!

Era um Chevrolet bonito,
todo pintado de preto.
Quando ele aparecia na rua,
o povo assoviava, grivava e dizia:
- “Olha o bicho do zóio de fogo!”

Lá no pé da serra tem uma fonte,
a água clara de onde vem?
- Ninguém sabe não. .
- Ah! Sei que vai pelo algodoal
que o avô plantou em julho de 52.

Lá se pode ver além do cerrado,
cabras, cavalos, juntos o gado.
- Ah! Você diz é o curral
que o avô cercou em julho de 52.

Lá se pode ver um céu estrelado,
debaixo desse céu há um roçado.
Ah! Tem feijão de água e sal
que o avô plantou em julho de 52.

Nenhum comentário:

Postar um comentário